De Kangoo a Bordalo II

De Kangoo a Bordalo II

Este poderia ser o título de uma viagem itinerante entre duas remotas cidades de um qualquer recôndito país asiático! Neste momento, alguns de vocês, ávidos de cultura geográfica, estarão já a percorrer o Google Earth à procura de tais exóticas localidades. Felizmente, nunca as irão encontrar, porque estas duas palavras são orgulhosamente representativas de êxito nacional.
A virtuosa inspiração deste artigo situa-se à pequena distância que separa um dos melhores e mais notáveis artistas plásticos nacionais Bordalo II e uma entusiasta e empreendedora carrinha Renault Kangoo do ano 2000, que carregou e carrega, literalmente, desde os primórdios da sua existência, a nossa/vossa querida e amistosa Piranha Tattoo de Viseu!

Se há uma fórmula possível de sucesso neste mundo da arte se fundir coma tatuagem, então esta parceria é a prova viva da sua existência.


A história que vos trazemos é emocionalmente intensa e mecanicamente devastadora! Esta indestrutível máquina de resistência fez mais de 1 000 000 de km… (SIM, leram bem… MAIS DE UM MILHÃO), distribuídos por três motores, até se tornar num ex-líbris itinerante da marca Piranha pela distinta inspiração do artista Bordalo II, que cria peças de arte incríveis, retratando animais a partir de material reciclável, sucata e/ou “lixo”, sensibilizando para a importância da sustentabilidade, o que converge com os princípios ecológicos que a Piranha igualmente defende.


O(s) princípio(s)… Primeiros km de uma história com final feliz!

Precisamos de recuar até aos primórdios do século XXI, ainda com uma investida nos finais do século passado, para percebermos onde começou esta epopeia.


Dizia o poeta que “o sonho comanda a vida”, e se considerarmos a afirmação verosímil estaremos em condições de dar os primeiros passos na direção da felicidade.

Tudo começou com uma antiga empresa que dois dos três CEO da atual Piranha Global detinham no final dos anos noventa. Nessa altura, a vedeta deste artigo, carinhosamente tratada por “Kangoo”, palmilhava milhares de quilómetros de asfalto para fazer chegar postais e peluches a centenas de quiosques e lojas de conveniência espalhadas por Portugal!

Em 2004, com a chegada da Piranha, a Kangoo é reconvertida num dos “aquários” mais importantes que a empresa deteve até aos dias de hoje, passando a transportar os primeiros supplies, que o Pedro, o Nando e a Daniela, determinados, pretendiam vender aos poucos mais de 10 estúdios de Tatuagem com porta aberta existentes em Portugal nessa altura.


__


Esse trabalho hercúleo faz-nos avançar na história, sustentando parte importante daquilo em que a Piranha Supplies se tornou. Aquele milhão de quilómetros haveria de crescer exponencialmente e levar a marca, orgulhosamente portuguesa, até aos 5 continentes do planeta.


2018 – Ano de Justa Homenagem


Decorridos catorze anos, e perante o risco eminente de partir o 3.º motor ao regressar de mais um evento, decidiu-se prestar justa homenagem à inspiradora e resiliente Kangoo.

Transportada até ao espaço criativo de Bordalo II, haveria de regressar como uma Piranha renascida de si própria, esventrada pela arte plástica da transformação, que ela própria tão bem soube, igualmente, proporcionar.


– HUNGER FOR MORE –


Se há sonhos que se transformam em realidades, este foi manifestamente um deles. Para rejúbilo de todos que com a Kangoo se cruzaram, a sua mutação tornou-se na marca viva de memórias inesquecíveis. Imaginem a quantidade de momentos que proporcionou… Muito mais risos que choros. Amizades de vida(s) inteira(s). Sensações de vitória e alguns (dis)sabores de derrota… Assim se cresce na vida! Amores e paixões. Camaradagem e conversas infinitas. A crença no possível. A fome que alimenta a esperança. O sonho que comanda a vida!


Esta é a fome por mais, que todos os dias nos continua a mover. Por isso mesmo, garantidamente, onde existir um sonho ou uma memória para tatuar, nós estaremos!


Sempre convosco…
Obrigado!

Autor: Luís Leitão

Quando a Tattoo supera a Dor

Quando a Tattoo supera a Dor

Que as tatuagens se têm vindo a tornar num fenómeno universal contemporâneo já todos nós assimilámos. Também é transversalmente aceite a emotividade que guardam em cada traço. Celebram o amor, a amizade e a personalidade. Invocam saudades de pais, avós e irmãos. Retratam sofrimentos e muito mais que apenas momentos. Marcam emoções e, por vezes, desilusões. Sonhos e ansiedades. Registam datas importantes e até renascem nos corpos dos pais os nascimentos e caras fofas dos  filhos(as). Tudo isso e muito mais…


Mas o que vos trazemos neste post vai para lá das realidades mais comuns que nos conduzem a um estúdio para sermos tatuados. Falamos de um sentimento mais profundo, uma demanda emocional que nos transporta para uma reflexão mais introspetiva da nossa existência.


Acompanhem-nos nesta incrível viagem de superação…

 

 

@piranhatattoostudios
A cada dia que passa no Piranha Tattoo Studios registam-se nas epidermes relatos de histórias incríveis e, mais vezes do que possam pensar, quase inimagináveis!


Costumamos afirmar que “a realidade ultrapassa (quase) sempre a ficção”, e a verdade é que começamos a acreditar que essa afirmação é manifestamente inegável.


Muito mais vos havemos de contar…


Desta vez, com máximo respeito e sentido de responsabilidade, partilhamos convosco, contado na primeira pessoa, a dureza de passar por uma doença oncológica e lutar no dia a dia para a ultrapassar. O processo é tão doloroso e de tal forma marcante, que impele para uma alteração da própria personalidade.


Quando a tormenta dos tratamentos é felizmente superada chega a altura de sarar as feridas mais difíceis, aquelas que tocaram com profundidade na alma, onde a dor e o medo se fundiram com o psicológico.


O nome da nossa  Guerreira é Teresa. Aceitou o desafio de partilhar a sua história connosco, porque acredita poder ajudar outras pessoas com a sua própria inspiração e coragem. A importância e superação que atribui ao processo de tatuar no peito o mamilo que a doença cruelmente lhe roubou, faz-nos repensar as nossas prioridades mais básicas e manter a esperança de que “tudo pode mesmo ficar bem“!


Foram tempos de sofrimento e, como se não bastasse, para dificultar ainda mais, associados a uma pandemia que nos empurrou para um confinamento obrigatório difícil de ultrapassar. 


Na verdade, e esta é para todos(as) sem exceções, o temor do desconhecido transporta-nos para as dúvidas de um futuro incerto! 


Não foi menos que isto para Teresa… 

 

__________

 

Teresa, obrigado pela coragem e testemunho. Comecemos pela derradeira questão. Que importância teve para si esta tatuagem?

Teresa – R:

“Esta tatuagem não foi uma simples tatuagem, foi tentar repor no meu corpo a “normalidade” que a doença me havia retirado.”

 

Muito mais do que uma questão de estética… Não?

Teresa – R:

“Sim, vai para além da estética. Era a “peça” que me faltava para me voltar a sentir mulher, de bem comigo mesma.”

“Olhar-me ao espelho e ver minimizadas as marcas de tempos dolorosos que vão sendo ultrapassados.”

 

O Tatuador toca na Alma… Até que ponto aquelas horas com o Diogo Aime ficarão na sua memória?

Teresa – R:

“O profissionalismo do Diogo levou-o a mergulhar neste trabalho não só como tatuador mas também como criador, que tentou restituir algo pessoal e único que havia sido perdido de forma cruel.”


“Estas horas ficarão marcadas, uma vez que foi a última etapa do processo que me vai dar força para continuar a enfrentar os desafios do futuro!

Ótimo trabalho!”

 

__________


Esta é uma estória real que ultrapassou em muito um Estúdio de Tatuagens. Tratou-se de fazer a diferença com um gesto artístico. A prova de que as mãos do Homem podem e continuarão a fazer toda a diferença neste mundo atribulado, onde todos sonhamos ser felizes e construir memórias inesquecíveis! 


Encontrar o equilíbrio certo resultará na expressão plena de cada tatuagem, e será a evidência física e psicológica que garante a certeza de ambos, Tatuador e Corpo/Alma da/o Tatuada/o, passarem a ser marcantes nas vidas um do outro! E certamente serão. Assim foi mais uma vez… 

__

Obrigado, à Teresa e a todas as “Teresa(s)” pelo testemunho e coragem! 

Autor: Luís Leitão

De volta à liberdade de tatuar

Não é fácil sentir saudades do que somos de verdade… Em cada tatuagem e em cada homem e mulher tatuador(a) vive uma necessidade única e indescritível de se expressarem.
Esta pandemia ceifou-nos momentaneamente a realidade, mas quem vive diariamente do que ama sabe e sente que o mundo regressará à normalidade. Tínhamos saudades, muitas, faltava-nos a azáfama da criação, o cheiro das tintas que se transformam em obras de arte, o ruído das tatoo machines, que pelas mãos “mágicas” dos artistas se orquestram em sinfonias de pigmentos perfeitos, a incrível sensação de nos tornarmos lendas de nós próprios, talvez o expoente máximo da liberdade!
Aguentámos firmes a lentidão do regresso, sentimos o tardiamento do desconfinamento que teimava em não chegar e, enquanto isso, investimos no processo de criação.
Até que as portas se abriram de novo e a paixão coletiva do nosso Cardume confirmou tudo o que partilhamos por dentro… Necessitamos das tatuagens como do ar que respiramos!
Estamos à vossa espera mais preparados do que nunca. Todos os procedimentos e funcionalidades do estúdio foram milimetricamente preparados para vos receber com máxima segurança e higiene.
O vosso bem-estar é também o nosso!
Talvez seja o momento certo para fazermos uma revenge contra este vírus e registar um momento único da história da humanidade…
The Machines are ON FIRE again.
We are back! 💪🔥

Piranha Tattoo Studios

Smart | Piranha

𝗪𝗵𝗲𝗿𝗲 𝗣𝗶𝗿𝗮𝗻𝗵𝗮 𝗺𝗲𝗲𝘁𝘀 𝗙𝗶𝗻𝗶𝗰𝗹𝗮𝘀𝘀𝗲

No passado dia 1 de Fevereiro fez-se história no setor automóvel a par com o mundo incrível da tatuagem. A Piranha juntou-se à Smart/Finiclasse no lançamento dos novos smart EQ fortwo e forfour, uma colaboração inesperada que trouxe resultados surpreendentes e que impressionou todos os visitantes deste evento. Para quem acompanhou o evento através das redes sociais foi também uma surpresa e portanto, trazemos um pequeno recap desta fantástica tarde, na melhor companhia.

Read more